Fudendo A Novinha No Banheiro

44 seg

Categoria:

Tag:

visualizações

44 seg

Categoria:

Tag:

Fudendo A Novinha No Banheiro

Fudendo A Novinha No Banheiro

(escrito por Kaplan)Conheci uma menina linda que se chamava Camila. Nunca tinha beijado uma boca tão deliciosa quanto à de minha irmã.

AAHHMMMM…AHHHH…ai tio …fode tua putinha novinha…e.

Diego não acreditou e pediu pra não parar.

"Comecei a gemer, de pra*er e vergonha, aquilo era demais para mim, não tinha forças para resistir aos seus avanços.

Após o almoço a Zizi foi dormir e fiquei na sala com minha Ericka trocando carícias quando ela pediu para vermos como a Zizi estava dormindo. Confesso que eu sempre batia uma punheta quando ia no banheiro da vovó, sempre pensando na minha prima Aline.

Fui ao banheiro me molhei e voltei com a langerie colada e transparente, aflorando uma extrema sensualidade vagabunda.

De inicio senti um pouco de repugnância de vergonha por não estar limpa e fazer ele provar todo akele gosto de cu sujo, de mulher suja, sem se lavar totalmente ao natural. Portanto, estávamos livres para fazer o que quiséssemos. (escrito por Kaplan)Eu fui pra cima dele, mas a turma do deixa disso já estava ali para me afastar e acalmar os ânimos.

Observando por entre as finas frestas da porta entre aberta do quarto de nossos pais, Michele e eu espiávamos escondido, o que até então eu duvidava: mamãe e papai fudendo alucinadamente; ela pulava e rebolava em seu cacete, mexia os seios e soltava gemidos que de onde estávamos conseguíamos ouvir. E nós ficamos ali conversa vai, conversa vem, até que ela me contou uma historia, que me deixou surpresa e de pernas bambas, ela me falou que, quando ela estava na cama, dando uma trepada bem gostosa com o seu marido, ele sempre falava de mim pra ela, que eu era um tesão e que eu tinha uma bunda muito gostosa, ela me disse que ele era louco de tesão pela minha bunda e que o seu desejo era de comer o meu cu, ela sabia que eu gosto, quando alguém come o meu cuzinho bem gostoso, principalmente se o homem tiver um cacete, bem grande e grosso. Lara me apresentou uma terceira amiga, Melânia. Era verão e o calor fazia-se sentir e como tal não havia necessidade de grande uso de lençois ou cobertores… e ali ficou ela, de pernas nuas, uma dobrada e outra esticada… e o rabinho empinado, coberto no limite, pela t-shirt….